Progressistas sempre

Autor: Luciano Dias
Área:Política

O Partido Progressista vai mudar de nome. Por decisão de sua Executiva Nacional, sua denominação oficial abandonará a palavra “Partido” e ganhará uma definição no plural: Progressistas. Existem muitas razões em favor da mudança e, assim, não há motivos para polêmicas.

Partidos, em todo o mundo, mudam de nome, quando as circunstâncias políticas exigem, quando novos momentos chegam na vida de todos os povos ou mesmo quando mudam as tecnologias da política. O Partido Progressista já foi a ARENA, já foi o PDS e já foi o PPB. A política brasileira viveu muitas transformações nas últimas décadas e as mudanças foram inevitáveis. A diferença, agora, é que a mudança está ocorrendo por bons motivos.

É o caso do abandono da expressão “Partido”, que obrigatoriamente antecedia o nome dos partidos brasileiros. Ela foi imposta por uma legislação que pretendia impedir a continuação das identidades formadas no período do regime militar. Em termos práticos, ela queria evitar que o MDB continuasse MDB. Impôs uma mudança, uma palavra antes da sigla, hoje, PMDB.

Assim, enquanto partidos e movimentos políticos em todo o mundo mostravam sua intenção de mudança e de renovação por meio da escolha de nomes com maior apelo e reconhecimento, o Brasil ficava preso a uma regra que tendia a uniformizar as denominações partidárias. Com a multiplicação das legendas, a regra da legislação eleitoral produzia mesmo uma forma de desmoralização, gerada pela repetição da expressão “Partido” em propagandas, siglas, programas partidários, etc. De certa maneira, o Brasil estava parado no tempo.

No caso do Partido Progressista, essa circunstância tinha outro efeito negativo. Transformado inevitavelmente em sigla, a expressão “PP” soava pouco distintiva e era possível confundir seu som com a sigla “PT”. Uma experiência que qualquer militante já teve em campanhas, eventos e contatos com os eleitores. Era comum ter de explicar “PP, o Partido Progressista” por extenso para se fazer entender.

Com a mudança de nome, esse problema desaparece com um ganho adicional. A expressão “progressista” já vinha sendo usada de forma comum nas propagandas e na correspondência oficial do partido. Assim, a mudança apenas estende uma prática que já se tornara comum.

Esse, contudo, não é o ganho mais substantivo. É importante a definição de uma identidade “Progressista” de forma mais clara e explícita.

Para começar, o abandono da regra que exigia a expressão “partido” levou várias forças políticas a mudarem suas denominações. O trabalho de diferenciação de imagem começou com a Rede e o Solidariedade e vai se estender por outras legendas. Permanece no formato antigo denotaria envelhecimento.

Além disso, o rumo da reforma política, em breve consolidada com o fim das coligações proporcionais, requer identidades mais claras e a marca “PP” estava ficando pouco distintiva.

Por fim, o mais importante: a expressão “Progressista” tem um significado muito positivo junto aos grandes eleitorados. Pesquisas qualitativas mostram que essa palavra é uma das poucas capazes de fazer uma relação entre símbolos políticos e vida pessoal.

“Progresso”, como qualquer pessoa sabe, está escrito na bandeira nacional, ao lado de “Ordem”. É uma associação natural de ideias. “Progresso” também é uma forma comum de descrever o sucesso pessoal no Brasil. “Fulano progrediu na vida”, “Beltrano está progredindo”, etc, são formas habituais de denotar o sucesso material na vida. 

São raras as expressões em português capazes de estabelecer esse nexo entre o domínio político e o privado. Boa parte dos nomes dos partidos brasileiros faz alusões a ideologias abstratas e quase sempre estrangeiras, como socialismo, trabalhismo ou liberalismo. O nome “Progressistas” evita essas dificuldades básicas.

 Na verdade, quem acompanha a vida do Partido Progressista há mais tempo, sentia essa mudança a caminho. No curso dos eventos políticos, dos comícios, no desenho das propagandas partidárias, a necessidade de uma expressão direta, um nome claro e substantivo era sentida pelas lideranças e militantes. A expressão “Progressista” tinha imediato apelo em todas as regiões do país, do norte ao sul, do leste ao oeste.

Dessa forma, os Progressistas devem comemorar a mudança, que, só para começar, os liberam da mesmice do “partido”. Uma mudança que vai facilitar a comunicação política e acelerar a formação de uma identidade política específica: as pessoas que trabalham pelo progresso do Brasil, um desejo que está escrito em sua bandeira.