Conheça o trabalho da deputada estadual Maria Victória

Na série Progressistas nos Estados, vamos mostrar o trabalho e as bandeiras defendidas por deputados estaduais e distritais do partido. Maria Victória, do Progressistas (PR), é a primeira

Publicado em 25/05/2021 20:59 - Atualizado há 6 meses

Olhar para o outro e entender que pode existir um elo mais fraco na sociedade. E trabalhar para se chegar ao equilíbrio. Essa maneira de ver o mundo marca a trajetória de Maria Victória. Antes de ser deputada, passou dois meses fazendo trabalho humanitário na África. Deu aulas de matemática e inglês para crianças em Botsuana, Namíbia e Zâmbia. E, com o dinheiro arrecadado durante um ano na faculdade, ela e os colegas puderam doar colchões, aparelhos de ar condicionado, material de construção e a instalação de um poço artesiano e de um galinheiro. “O que me levou para lá foi a vontade de servir e ajudar as pessoas que mais precisam”, resume Maria Victória.

Essa marca aparece na vida parlamentar desde quando foi eleita deputada aos 22 anos, a mais jovem da Assembléia Legislativa do Paraná. Em 2015, por exemplo, apresentou projeto para estabelecer diretrizes para o tratamento de Doenças raras, que acometem mais de 300 milhões de pessoas em todo mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (veja os principais projetos abaixo).

Maria Victória se formou em Hotelaria na Suíça e trabalhou em um grande hotel em Suzhou, na China. Essa formação confere à deputada os meios para estabelecer relação e parcerias com organismos internacionais. Foi assim com o Hospital da Criança de Maringá, que tem parte do financiamento pela Organização Mundial da Família, ligada à ONU.

“Todas essas experiências somadas ajudam em uma visão diferenciada sobre legislação”, resume a deputada estadual. Nos tempos em que empatia virou palavra da moda, temos uma deputada estadual progressista que batalha para trazer da empatia, políticas públicas.

Confira as principais ações da deputada estadual progressista, Maria Victória:

1) Doenças raras

Firme atuação em prol dos familiares e portadores de doenças raras, que acometem a mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Maria Victoria elaborou o projeto que deu origem à Lei Estadual 18.646/2015, que instituiu no Paraná o Dia de Conscientização das Doenças Raras (29 de fevereiro), que encerra o Fevereiro Lilás, e forneceu as diretrizes para a política de tratamento das doenças raras no Estado.

Ainda nesse contexto das doenças raras, Maria Victoria contribuiu de forma decisiva para a ampliação do Laboratório de Triagem Neonatal da Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (Fepe), resultando na expansão expressiva de testes como o do pezinho. Por meio de um trabalho conjunto com o governo Cida Borghetti, mais de R$ 1,2 milhão foram liberados para a ampliação do teste do pezinho, o que ajudou a aumentar de 6 para 11 o número de doenças diagnosticadas no Paraná. Ela também apoia a campanha do Instituto Vidas Raras, que busca recolher 1 milhão de assinaturas para incluir a versão ampliada do Teste do Pezinho no Sistema Único de Saúde (SUS).

 

2) Saúde infantil

Maria Victoria teve uma participação crucial na construção do Hospital da Criança de Maringá, que vai oferecer 160 leitos e mais de 20 especialidades da pediatria, atendendo a cerca de 3 milhões de pessoas na região. A deputada participou das primeiras tratativas com a Organização Mundial da Família, que ajudou a financiar o projeto juntamente com o Governo do Estado e o governo federal, com investimentos de cerca de R$ 150 milhões.

 

3) Defesa do consumidor

A deputada Maria Victoria propôs na Assembleia Legislativa do Paraná, a criação de uma Comissão Especial para redigir o Código Estadual de Defesa do Consumidor. O requerimento para instalação foi aprovado e o novo documento deve reunir diversas leis estaduais que tratam do tema com o objetivo de informar, conscientizar e garantir os direitos dos consumidores com mais eficácia e segurança jurídica. A ideia é que o Paraná seja o segundo estado no país a ter um código próprio.

 

4) Combate à violência contra a mulher

A deputada é protagonista no combate à violência contra a mulher na Assembleia Legislativa do Paraná. É de sua autoria a Lei 18.447/2015, que instituiu a Semana Estadual Maria da Penha nas Escolas, e a criação e distribuição na rede estadual de ensino do gibi Escola Livre de Violência contra as Mulheres.

Também é uma das propositoras da Campanha Estadual 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, instituída pela Lei Estadual 20.234/2020. Apresentou ainda um projeto para implantar a Quinzena Laranja de Combate ao Feminicídio, propondo a adesão do Estado à iniciativa da ONU adotada em 192 países. E participa ativamente da Procuradoria Especial da Mulher na Assembleia Legislativa, que atua em diversas frentes em defesa da mulher, como segurança, saúde e política, além de parcerias com a iniciativa privada para conter o avanço dos casos de feminicídio.

 

5) Autismo

Maria Victoria é coautora da lei que instituiu o censo quadrienal das pessoas com autismo e participou da elaboração da política estadual de assistência às pessoas com Transtorno do Espectro Autista, iniciativa pioneira no Brasil.

 

6) Apoio aos migrantes e refugiados

Maria Victoria foi presidente da Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais, dando especial atenção ao acolhimento e prestação de serviços aos migrantes, refugiados e apátridas no Estado. E é coautora da Lei 18.839/2016, que instituiu no Paraná o Dia da Mobilização pelos Direitos dos Migrantes, Refugiados e Apátridas.

 

7) Participação da mulher na política

Como presidente estadual do Progressistas, determinou que os diretórios municipais tivessem 30% de mulheres, em harmonia com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a necessidade de maior participação feminina nos órgãos de direção dos partidos.

 

8) Saúde mental

A deputada criou o projeto que deu origem à Lei 10.400/2019, que instituiu o Dia e a Semana de Conscientização sobre a Esquizofrenia, com o objetivo de dar suporte a quem sofre com a doença e ajudar a esclarecer a população sobre o tema.

9) Economia sustentável

Maria Victoria é autora da Lei 10.544/2019, que instituiu no Paraná o selo "logística reversa" para fabricantes, importadores, comerciantes e distribuidores signatários de acordo setorial estadual e/ou termos de compromisso de logística reversa de resíduos sólidos no Estado do Paraná.

 

Biografia: Deputada Maria Victoria

Filha do deputado federal Ricardo Barros e da ex-governadora Cida Borghetti, Maria Victoria Borghetti Barros nasceu no dia 1.º de fevereiro de 1992 em Maringá – quando Ricardo era prefeito da cidade e Cida presidente do Provopar. Formada em Hotelaria na Suíça, pós-graduada em Gestão Pública e atualmente cursando MBA em Relações Governamentais na Fundação Getúlio Vargas, Maria Victoria trabalhou na China e participou de projetos humanitários na África. Empresária do ramo da Educação, tem uma escola bilíngue em Maringá.

Foi presidente da Juventude Progressista e do Partido Progressista (atual Progressistas) em Curitiba. Mais jovem deputada estadual em 2014, aos 22 anos, com 44.870 votos, tem atuação destacada na Assembleia Legislativa nas áreas da Educação, Saúde – particularmente na atenção às doenças raras – e Turismo. Presidente da Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais, dedica-se principalmente a atrair novos investidores e para a melhoria da situação de migrantes e refugiados no Paraná. Em 2016 disputou a Prefeitura de Curitiba, tendo ficado em quarto lugar, com mais de 52 mil votos. Foi reeleita deputada estadual em 2018, pela vontade de 50.414 paranaenses.