Simone Leite, coordenadora estadual do PP Mulher do RS, ministra palestra sobre política e...

O evento foi realizado em Ijuí (RS) e teve o apoio da Fundação Milton Campos

Publicado em 31/08/2015 18:44 - Atualizado há 3 anos

A vice-presidente de Integração da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul), Simone Leite esteve ontem em Ijuí ministrando uma palestra com o tema "O papel da mulher no fortalecimento da economia brasileira na atualidade.  O evento contou com o apoio da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais (BPW).

Em sua palestra, Simone falou um pouco de sua trajetória e das individualidades que só as mulheres têm na hora de negociar. "Penso que é importante dar visibilidade a esse tema e pensar sobre o papel da mulher na sociedade, principalmente porque a cada dia mais mulheres empreendem no Brasil. Seja pela possibilidade de fazer multitarefas, pelo gene da cooperação, pelo dom inexplicável de ser detalhista ou pelo sexto sentido, mulheres são ótimas empreendedoras e merecem cada vez mais incentivo para o fazerem", diz Simone , salientando que “temos capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo, somos colaborativas, detalhistas e temos um sexto sentido aguçado”, argumenta.

Ao traçar o paralelo entre a mulher de ontem, conhecida como o sexo frágil e as habilidades e fortaleza de hoje, Simone Leite diz que" as mulheres convivem com igualdade na sociedade moderna e já estão à frente das mais importantes decisões”, ressaltou com o intuito de despertar a atenção para a característica multitarefa desempenhada pelas mulheres, salientando que ainda existe muito preconceito. "O Brasil está buscando aprovar, como já ocorre no mundo inteiro, cotas para mulheres participar em cargos de conselhos superiores em empresas de capital aberto, tendo em vista que as  mulheres têm dificuldades de ter ascensão dentro das  empresas, elas entram no nível igual dos homens, mas são avaliadas por homens, que por conta do preconceito julgam que elas não estão aptas. O preconceito precisa ser superado", declara.

A atual situação política e econômica do Brasil e do Rio Grande do Sul também foi colocada em pauta por Simone, que afirma que, hoje, estamos vivendo não só uma crise financeira, mas principalmente, uma crise de confiança. “O que nós estamos vendo hoje no RS, de fato, são finanças arruinadas. Falta recurso para fazer frente a todas as despesas, mas o empreendedor está fazendo a sua parte. De forma muito corajosa, ele vem empreendendo, correndo riscos e fazendo o seu melhor, que é gerar emprego, contribuir socialmente também para a economia do Estado do RS, trazendo inovação, imprimindo tecnologia e tudo isso tem que ser valorizado”, garante.

A vice-presidente da Federasul  foi clara ao afirmar que é contrária ao aumento do ICMS. "Nós entendemos que o aumento da  carga tributária penaliza principalmente a classe  média empresarial. O empreendedor repassa esse aumento para consumidor, então quem sai perdendo com o aumento de impostos é a sociedade de forma geral. A massa salarial é a  mesma, não teve nenhum incremento, por isso digo que o aumento de impostos significa dar mais dinheiro para o governo. O dinheiro vai sair da mão do consumidor, do giro das empresas e por consequência vamos ter uma queda na economia", relata.

Ela salienta ainda que no primeiro momento o governo terá mais dinheiro em caixa. "Depois de alguns meses teremos uma redução na arrecadação, e pergunto, qual vai ser a artimanha do governo para daqui um ano, para reverter esta queda", questiona Simone.

Fonte: http://www.jmijui.com.br/ (Com adaptações)